• Mateus Lamari

Como Prevenir e Tratar Artrite e Artrose

Dores nas juntas, inchaço e rangidos nas articulações podem ser sinais de artrose. Segundo o Ministério da Saúde, a artrose atinge 15 milhões de pessoas só no Brasil e pode afetar principalmente pessoas com idade mais avançada. A artrose é um processo de degeneração da cartilagem, e essa estrutura tem por função promover o deslizamento, sem atrito, entre duas extremidade ósseas durante o movimento de uma articulação. Se caracteriza pelo desgaste dessa cartilagem articular e por alterações ósseas, entre elas os osteófitos, conhecidos, vulgarmente, como “bicos de papagaio”, mas que também danifica outros componentes articulares como os ligamentos, a membrana sinovial e o líquido sinovial. As articulações mais acometidas são joelhos, quadris, coluna e mãos. Artrose é o mesmo que osteoartrose, ou doença articular degenerativa.



Sua importância pode ser demonstrada através dos dados da previdência social no Brasil, pois é responsável por 7,5% de todos os afastamentos do trabalho; é a segunda em relação ao auxílio-doença (em prorrogação) com 10,5%; é a quarta a determinar aposentadoria (6,2%).

Essa doença acomete mais mulheres, aumentando com o passar dos anos, sendo pouco comum antes dos 40 e mais frequente após os 60. Após 75 anos, 85% das pessoas têm evidência radiológica ou clínica da doença.


CAUSAS:


A osteoartrose é um processo natural do envelhecimento, mas o desgaste pode ser acentuado por diversos fatores.


Artrose primária

Ocorre principalmente devido ao uso excessivo de uma articulação, mas também pelo envelhecimento natural do indivíduo. O uso repetitivo das articulações ao longo dos anos causa danos à cartilagem, que leva a dor nas articulações e inchaço.

O exercício, quando não excessivo e corretamente supervisionado, nem associado a traumatismos, não predispõe à enfermidade. Ao contrário, a obesidade, esforços físicos repetitivos e esportes com impacto são fatores de risco.

Com o passar do tempo, o fluído que existe entre as articulações (líquido sinovial) se degenera, bem como a cartilagem que recobre esse líquido.

Em casos avançados, há uma perda total da cartilagem que envolve as extremidades ósseas nas articulações. Isso provoca o atrito direto entre os ossos, causando dor e limitação importante da mobilidade articular.

A artrose primária frequentemente pode ser encontrada em vários membros da mesma família, o que sugere que ela possa ter características hereditárias.


Artrose secundária


Já a artrose secundária é uma consequência de doenças ou condições que a pessoa tenha. Problemas que podem levar a artrose secundária incluem cirurgia das estruturas articulares, necrose óssea, articulações anormais no nascimento (anomalias congênitas), gota, artrite reumatoide, diabetes e outros distúrbios hormonais.


SINTOMAS:


Quando há sintomas, eles podem permanecer leves ou mesmo desaparecer por longos períodos. Quando há sintomas, geralmente são:

  • Dor nas articulações, que começa aos poucos e aumenta de intensidade no decorrer dos anos. Caracteristicamente, nas fases iniciais a dor surge com o movimento e vai embora com o repouso;

  • Rigidez e diminuição da mobilidade articular. O enrijecimento tende a desaparecer segundos ou minutos depois que a pessoa começa a se movimentar (Por exemplo, alguém está sentado por um tempo e sente dor quando se levanta e que melhora após os primeiros passos), diferença importante com os casos de artrite reumatoide, em que pode persistir por horas;

  • Perda de flexibilidade. Em alguns casos a pessoa pode não conseguir dobrar como antes aquela articulação;

  • Rangidos e estalos na articulação;

  • Inchaço, quando há inflamação;

  • Quando é nas mãos, pode ter maior o volume das articulações dos dedos.

A intensidade dos sintomas da artrose varia muito de paciente para paciente. Alguns pacientes podem ficar debilitados por seus sintomas. Por outro lado, outros podem ter poucos sintomas, apesar de degeneração das articulações observada na radiografia.


A artrose do joelho é frequentemente associada com obesidade, histórico de lesões repetidas e/ou cirurgia articular. Nos joelhos, a artrose pode levar a desvios chamados popularmente de pernas em alicate (joelho varo), quando o desvio é para fora, ou joelhos em valgo, quando o desvio é para dentro.


A artrose da coluna vertebral causa dor no pescoço, no dorso ou na região lombar. Os bicos de papagaio que se formam ao longo da coluna, podem irritar os nervos espinhais, causando dor, dormência e formigamento nos membros superiores ou nos membros inferiores, dependendo da sua localização.


Artrite X Artrose

Muitos confundem artrose com artrite, mas, apesar das duas afetarem as articulações, elas se diferem em muitos sentidos. Artrite é sinônimo de inflamação da articulação, já a artrose, ou osteoartrose, é o desgaste da articulação”. A artrite pode ser causada por diversas doenças autoimunes, como lúpus e artrite reumatoide, gota, assim como também pode ser consequência da artrose, ou seja, alguém que tem desgaste nas articulações também pode desenvolver uma inflamação.


Outra diferenciação é que a artrite atinge principalmente dedos, punhos e pés e tornozelos, já a artrose é mais ligada ao envelhecimento e acomete articulações que suportam mais peso, como quadril, joelhos e a coluna.


Prevenção

Quem tem uma predisposição a ter a doença precisa evitar sobrepeso. Isto porque, além de sobrecarregar a articulação, o tecido gorduroso faz com que o organismo produza mais inflamação. É importante fazer exercícios e adotar uma alimentação saudável: quanto mais músculos a pessoa tiver, mais estabilizada será a articulação, e com isso, menor será a sobrecarga óssea e articular.


Tratamento

A artrose não tem cura, mas hábitos comportamentais, como exercícios, fisioterapia, pilates, podem adiar o desenvolvimento e a progressão da doença.

O principal objetivo do tratamento é aliviar os sintomas e permitir que os portadores levem vida normal, sem dor ou limitações de movimento.


A Fisioterapia e prática de exercícios ajudam a prevenir a perda ou a limitação do movimento articular, a fraqueza muscular e a instabilidade das articulações. Músculos mais fortes ajudam a proteger a articulação.


Deve-se priorizar exercícios com menor grau de impacto articular e voltados para fortalecimento muscular e alongamentos, sempre acompanhado por profissionais da área e observando as limitações individuais.


Evite passar muito tempo na mesma posição. Se você vai ficar sentado por muito tempo, faça paradas ou levante-se do assento em alguns momentos, e enquanto estiver sentado procure movimentar e alongar as mãos, braços, pernas e pés.


Se você trabalha em um escritório, procure alongar-se de tempos em tempos. O mais indicado seria uma pausa a cada 50-60 minutos. Procure levantar, andar até um banheiro mais longe, beber água e descansar em algum lugar mais distante. Isso estimula a circulação e a nutrição adequada de seus tecidos.


Jamais adote o repouso absoluto, ele enfraquece suas estruturas musculares e tendíneas, que são os mecanismos estabilizadores dinâmicos das suas articulações, sobrecarregando assim estruturas ósseas e ligamentares.


Para prescrição de exercícios e orientações individuais para o seu caso, entre em contanto conosco. Lembrando que fazemos consultas online, por videoconferência.


Instagram

Facebook

Youtube

Spotify

Obrigado!

4,193 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo