• Mateus Lamari

Afinal, o que é Fisioterapia Esportiva?


Hoje o assunto do nosso blog é sobre FISIOTERAPIA ESPORTIVA.


Separamos o assunto em alguns subtópicos, que serão: o que é fisioterapia esportiva, por que realizar a fisioterapia pós lesões, quando começar, quais as técnicas mais utilizadas, quais os riscos de não realizar ou abandonar o tratamento, e uma finalização com exemplos de tratamento.


Antes de iniciarmos, peço ajuda e suporte de vocês nos seguindo nas redes sociais: Facebook, Instagram, Spotify e Youtube.


E fique por dentro do nosso conteúdo semanal.



Vamos lá...


1 - O que é a Fisioterapia Esportiva?

A Fisioterapia Esportiva é uma especialidade que busca a reabilitação, prevenção e atenção do atleta amador ou profissional, e de qualquer outro paciente que pratique alguma atividade física e que tenha pretensões de retornar ao exercício de forma segura.


2 - Por que realizar a Fisioterapia pós-lesões? Quando começar?

O tratamento fisioterapêutico é fundamental e tem como objetivos otimizar o tempo de recuperação física, promover a melhora da capacidade funcional e principalmente permitir o retorno das atividades diárias e esportivas, o mais breve possível e o mais próximo de como era antes da lesão.

Para que isso possa ser feito da maneira menos traumática possível, desenvolvemos diversos programas de exercícios respeitando à especificidade de cada modalidade esportiva e a prevenção de recaídas.


3 - Quais técnicas mais usadas?

Na maioria das vezes, o tratamento tem como base o MOVIMENTO, a realização de terapias manuais e funcionais, contando também com a ajuda de aparelhos (eletrotermofototerapia), da osteopatia, da estabilização segmentar vertebral, liberação miofascial, alongamentos, crioterapia (gelo), dentre outros.

É importante destacar que o uso das técnicas vai depender do local e do tipo de lesão, das individualidades do paciente e da modalidade esportiva que ele pratica.


4 - Quais os riscos de não realizar/abandonar o tratamento?

Existem diversas consequências para pessoas que não fazem uma reabilitação adequada após uma lesão. Muitas vezes negligenciada ou interrompida, a fisioterapia pós-lesão ou cirurgia é muito importante a curto e longo prazo, para a volta às atividades funcionais do dia-a-dia. O preço a se pagar por isso pode ser relativo, dependendo de cada caso.

Assim como não fazer a fisioterapia, parar o tratamento na metade também é muito perigoso. O principal problema é o aparecimento de dores relacionadas à lesão que não foi 100% tratada, além de possíveis novas lesões e instalações de sequelas. Por isso, é importante concluir todas as etapas até os objetivos traçados nas avaliações serem atingidos.

Em muitos casos, é possível sim reverter o estrago feito depois de negligenciar o tratamento. O problema é que a melhora pode ser inferior à que seria obtida se o tratamento tivesse sido feito no momento inicial. A fisioterapia precoce ajuda o paciente a se recuperar mais rápido, poupa tempo e, consequentemente, dinheiro. Melhorando assim a qualidade de vida das pessoas e evitando dores crônicas no futuro.


5 - Exemplos de tratamento (entorse de tornozelo, estiramento muscular e LCA).

Um caso bem simples, por exemplo, é o entorse de tornozelo (lesão quando o tornozelo torce ou gira da forma errada). Quando esse problema ocorre, além da dor, muitas vezes a condição muscular e o controle motor da região são alterados e, se não for trabalhado de forma adequada, poderão aparecer dores futuramente.

Se estivermos falando de atletas, isso afetará diretamente o rendimento deles, além do risco de uma recaída.

Outro exemplo comum para este caso acontece com as cirurgias ligamentares no joelho, onde a cicatrização e a adaptação tecidual exigem um tempo específico, e muitas vezes o paciente quer imediatismo, o que não é possível. Se isso não for respeitado, incluindo não realizar a fisioterapia, a chance do paciente não conseguir retornar à rotina, de adquirir sequelas e do reaparecimento da lesão são grandes.

Para outras partes do corpo esses exemplos também servem, como por exemplo, as lesões musculares, que podem gerar cicatrizações erradas no local (fibrose), alterando a mecânica do músculo e consequentemente reduzindo o desempenho.

Para uma reabilitação adequada, com profissionais de qualidade, experientes e capacitados, entre em contato para agendar uma avaliação e nos procurem nas redes sociais.


Obrigado e até mais!

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo