• Mateus Lamari

Cervicalgia - Saiba Como Tratar

A dor na coluna cervical, também conhecida cientificamente como cervicalgia, é um problema relativamente comum e recorrente, que pode surgir em qualquer idade. A cervicalgia tem afastado muitas pessoas de suas atividades, como trabalho, esporte e lazer. Tarefas simples, como digitar, dirigir, dormir e assistir à TV tornam-se os momentos sobre os quais os pacientes relatam maiores desconfortos.


A região cervical possui conexão direta ou indireta com diversas partes do corpo, como a cabeça, o ombro, a caixa torácica e a região lombar, que podem estar influenciando as dores. Fora sofrer influência de todos os segmentos já comentados, alguns músculos da cervical reagem com pontos de tensão mediante estresse.



Na grande maioria das vezes o problema é causado por múltiplos fatores, como: má postura ao trabalhar, ler ou assistir TV, sedentarismo, disfunções em articulações relacionadas com a cervical, movimentos repetitivos, estresse, ansiedade e fatores genéticos. Não precisam ser necessariamente todos.


Quais são os sintomas?

O paciente com cervicalgia costuma adquirir uma atitude de defesa e rigidez dos movimentos. Ocorre também uma alteração na mobilidade do pescoço e a dor durante a palpação da musculatura da região, podendo também abranger a o ombro e nos casos mais graves ou prolongados, irradiando para todo o membro superior. Outro sintoma que pode estar relacionado é a dor de cabeça (cefaléia), devido a contratura dos músculos que trabalham na região do pescoço, por exemplo, o trapézio.


Em relação à dor, o paciente pode se queixar desde uma dor leve local e uma sensação de cansaço, até uma dor mais forte e limitante. O braço, além de doer, pode apresentar alterações de sensibilidade e força muscular, são as chamadas “alterações neurológicas”. O paciente refere adormecimento de alguma área ou de todo o membro, podendo ser contínua ou desencadeada por algum fator. A fraqueza muscular acontece em casos mais graves ou prolongados, sendo geralmente progressiva.


E como devemos prosseguir?

Descubra as origens

Entender a dor cervical, sua frequência e procurar meios para seu tratamento é de extrema importância, uma vez que a disfunção cervical está entre os mais onerosos problemas musculoesqueléticos e com enorme impacto sobre a qualidade de vida dos pacientes, levando assim a uma grande procura pelos serviços de reabilitação.

Trate as causas primordialmente, não os sintomas! Corte o mau pela raiz e resolva o problema de uma vez por todas. Uma vez conhecendo a relevância deste tema e a alta probabilidade de recidiva da cervicalgia, se desejamos ser verdadeiramente resolutivos no tratamento destas disfunções, é preciso então que primeiramente determinemos qual, dentre estas múltiplas causas, é o desencadeante da dor de nosso paciente.

O tratamento é de suma importância, sendo extremamente individualizado e específico. Não daria para utilizar, por exemplo, o mesmo tratamento para um paciente com hérnia cervical e para um paciente com tensões musculares.

Cuidado, a dor cervical pode ser de difícil resolução. Quanto mais tempo demorar para procura ajuda, mais demorado e complicado tende a ser o tratamento.

As doenças que, comumente, causam dor na coluna cervical, são: torcicolo (dor que se limita aos músculos ao redor do pescoço), estenose cervical (formação de osteófitos, mais conhecidos como “bicos de papagaio”, que ocupam espaço e acabam comprimindo áreas onde estão presentes estruturas nervosas, causando dor, formigamentos, dormência e fraqueza), hérnia de disco cervical (ruptura na parte externa do disco intervertebral, o ânulo fibroso, com consequente deslocamento do material interno, o núcleo pulposo, que acaba comprimindo alguma raiz cervical), traumatismos, neoplasias, artrose, etc.


Como é feito o diagnóstico?

A semiologia da dor deve ser realizada de forma detalhada e abrangente. Assim sendo é importante que estes 10 pontos sejam questionados ao paciente:


· Localização da dor;


· Intensidade da dor;


· Característica da dor – diferencie as dores musculares das neuropáticas através da descrição de como o paciente percebe a qualidade da dor;


· Há quanto tempo iniciou o quadro álgico e a duração dos episódios;


· Irradiação – dores que irradiam em trajetos de miótomos são sugestivas de acometimento de raízes nervosas;


· Fatores de piora – posturas, movimentos ou atividades que agravam a dor;


· Fatores de melhora – além das posturas e alongamentos, o uso de medicações que tiveram boa resposta no alivio da dor;


· O horário do dia em que a dor mais acomete o paciente – dores associadas a processo reumatológicos geralmente surgem logo que o paciente se levanta e tendem a melhorar com a realização de movimentos. Dores de origem muscular com frequência acabam por ter seu pico ao fim do dia, após a sobrecarga da musculatura;


· Relação da dor com sintomas presentes em outros sistemas – dor cervical associada à cefaleia pode ser um indicativo de cefaleia tensional.


Posteriormente, realize um exame físico musculoesquelético detalhado, não atropelando nenhuma das etapas a seguir:


· Palpação da coluna vertebral;


· Análise do trofismo;


· Teste do tônus muscular;


· Presença de pontos gatilhos;


· Força Muscular;


· Avaliação postural;


· Testes especiais.


Como a Fisioterapia pode livrar a dor cervical de maneira rápida e indolor?

Como dito anteriormente a dor cervical é multifatorial, portanto temos que corrigir vários detalhes dos nossos hábitos de vida diários, que são:


Posições do dia a dia:

Uma boa postura é fundamental para proporcionar uma melhor qualidade de vida. Esta não deve ser tida somente em conta na realização das tarefas do dia-a-dia ou na forma como nos sentamos/deitamos, como deve ter uma atenção redobrada quando trabalhamos e praticamos atividades físicas.

Adotar uma postura correta durante o seu dia não só previne a ocorrência de lesões como potencializa os seus resultados diários. Deve, por isso, ser um aspeto central a ter em mente.

Ou seja, ao executarmos determinado movimento utilizando a postura/técnica correta, possibilitamos um equilíbrio entre os músculos e os ossos de forma a proteger as estruturas de suporte, diminuindo a sobrecarga nas articulações e permitindo a eficiência máxima na sua mecânica.


Posições durante o sono:

A manutenção da postura é essencial para um descanso de qualidade. Durante o sono, perdemos o controle da musculatura e para evitar problemas mais sérios na coluna é importante se preocupar com a postura correta durante toda a noite.

A postura mantida na cama pode afetar muito mais do que apenas o sono. Uma posição para dormir inadequada favorece dores nas costas, no pescoço, fadiga, apneia do sono, cãibras, má circulação e até azia.

Procure saber com um especialista qual a posição correta para o seu caso, com os devidos detalhamentos.


Ajustes no posto de trabalho:

As pausas de trabalho são importantíssimas para estimular seu sistema circulatório e linfático, e com isso, renovando seu sangue local, com nutrientes e oxigênio, nutrindo melhor os tecidos e causando uma sensação de alívio. Alongamentos programados, a cada, no máximo, 50 minutos, são essenciais.

A orientação de práticas de exercícios durante a jornada de trabalho visando quebrar o ciclo de esforços repetitivos, somada ao cuidado com mobiliário e distribuição dos equipamentos por meio de planejamento de medidas ergonômicas, também contribuem para redução das dores musculares nos colaboradores, e consequentemente, aumentando sua produtividade.

Alongamentos:

Seus benefícios são: Aumenta a flexibilidade, deixando os movimentos mais soltos e leves e melhorando a aptidão física. Alivia a tensão muscular responsável por dores nas costas, no pescoço e até dores de cabeça. Relaxa o corpo e a mente, ajudando a aliviar o estresse. Melhora a consciência corporal, melhorando também a habilidade para aprender e executar movimentos. Melhora da postura. Previne lesões esportivas e as dores musculares após o exercício físico. Previne tendinites e LER (lesão por esforço repetitivo). Ativa a circulação sanguínea. Prepara o músculo para o dia a dia. Produz ótimos resultados no tratamento de dores na coluna.

Exercícios posturais:

A prática de exercícios posturais pode ajudar — e muito — quem está com algum músculo dolorido, desde que seja feita de forma a trabalhar a área afetada. Os exercícios físicos devem ser retomados o mais rápido possível, e não precisamos esperar a resolução completa do quadro de dor. A prática de movimentos focados na sua postura são essenciais para o fortalecimento da musculatura, a boa manutenção do peso e a preservação da saúde, de modo geral. São altamente recomendados porque trabalham diversos aspectos do seu corpo, tanto físicos quanto mentais.


Cuidado com o uso abusivo de medicações, elas podem causar dependência e efeitos colaterais.


Reeducação Postural Global:

A Reeducação Postural Global representa uma série de exercícios práticos para evitar e aliviar os diversos tipos de dores com movimentos que ajudam a alongar a musculatura e contribuem para dar mais forma ao corpo.


Quando o paciente é submetido aos cuidados de um profissional qualificado, entre outras disfunções, ele pode corrigir a postura, resolver problemas crônicos de coluna, tonificar os músculos, melhorar a asma e bronquite e crescer de dois a três centímetros, com a recolocação dos ossos no lugar correto. Uma postura correta ajuda até na diminuição da incômoda barriguinha, pois corrigindo a postura, a barriga diminui.


Nesse tratamento o fisioterapeuta analisa toda a postura da pessoa e indica os exercícios que ela precisa realizar para fortalecer os músculos mais fracos e alongar os músculos, tendões e ligamentos necessários para realinhar todo o corpo.

Liberação dos pontos dolorosos:

Existem alguns fatores que causam lesões musculares e, consequentemente, o enfraquecimento da fáscia:


· Uso incorreto da musculatura


· Maus hábitos de postura


· Treinos intensos


· Estresse e sobrecarga de trabalho


· Problemas emocionais


O corpo reage a estes fatores formando nódulos (pontos dolorosos), que são chamados de pontos gatilhos. Eles acumulam toxinas e prejudicam o bom funcionamento do sistema musculoesquelético. Também alteram a coordenação, a flexibilidade e a força muscular.


O tratamento consiste em manobras lentas e contínuas que aplicam pressão em certos pontos do corpo, que podem ser feitas com rolos de espuma, bastões, bolinhas de tênis e até com as mãos - nesse caso, por um profissional capacitado. A liberação diminui a tensão na fáscia e dá fim aos sintomas, além de melhorar a flexibilidade, a mobilidade articular, a circulação sanguínea e o rendimento nas atividades físicas.


Mas Atenção!

Essas são dicas e sugestões generalizadas. Para prevenção ou correção do seu caso, necessitamos avaliar individualmente com as devidas especificidades. Para agendamentos, dúvidas e sugestões, entre em contato com a Clínica Lamari.


Instagram

Facebook

Youtube

Spotify

Obrigado!

2,087 visualizações0 comentário